11 de agosto de 2011


É melhor atirar-se à luta em busca de dias melhores, mesmo correndo o risco de perder tudo, do que permanecer estático, como os pobres de espírito, que não lutam, mas também não vencem, que não conhecem a dor da derrota, nem a glória de ressurgir dos escombros. Esses pobres de espírito, ao final de sua jornada na Terra não agradecem a Deus por terem vivido, mas desculpam-se perante Ele, por terem apenas passado pela vida.

8 de agosto de 2011

Bad


Rise Above 1




No momento da traição
Há hora para a verdade?
Onde não há eles, somente nós
É hora da razão?
Seu coração já teve o suficiente?
É hora de seguir em frente?
E superar.

Alma Gêmea

Domingo passei o dia vendo Sex And The City, tempo nublado, meio frio, era o que tinha de melhor para ser feito, e foi em um desses episódios que eu ouvi uma coisa que me emocionou muito, em uma conversa em que as amigas Carrie, Miranda, Charlotte e Samantha estavam tendo sobre uma crise de carência afetiva onde elas diziam que achavam que não tinham uma alma gêmea, dessas que casais usam quando estão apaixonados, quando Charlotte disse a seguinte frase: ‘E se, nós formos à alma gêmea uma da outra. ’ E eu percebi, de como eu sou feliz quando estou na presença de vocês. Como eu me sinto bem e segura. E se eu penso que sozinha posso ser grande, junto de vocês consigo ser gigante. E não é em corpo não, é em espírito, posso dizer sem sombra de duvidas, que quando estou com qualquer uma de vocês sinto-me iluminada. Hoje eu escrevo para vocês, que estão junto de mim nas piores horas, e eu não vou lembrar as melhores porque para os melhores momentos existem muitos, mas para os momentos ruins, nesse que a gente não enxerga nada claramente e tudo parece perdido vocês, minhas amigas posso até ser modesta em dizer irmãs, estão comigo e me ensinam que é só mais uma fase, cada uma com sua qualidade e seu defeito, completam a minha vida.  E não podia deixar de citá-las individualmente mencionando o que as torna tão especiais...

Camila Porto:

Segura de si, mulher, discreta, quando tudo está voando e as coisas parecem não terem um lugar para se encaixar, TU, chega com uma calma absurda e puxa tudo de volta para seu devido lugar, mostrando que cada coisa tem o tempo certo e que só basta paciência e encarar as coisas como são. Nada foge do seu ponto de equilíbrio e mesmo que as coisas estejam loucas lá fora, em ti eu encontro paz.

Pauline Souza:

Menina, meiga, decidida, sempre me dizendo ‘onde eu for, te levo comigo’ e não há quem duvide, mulher que alça grandes vôos, o teu lugar é no topo. Meio inconseqüente, duvida da própria inteligência, mas é maior do que pensa. O mundo é pequeno pra ti, e no meu medo de tentar, no desanimo dos dias, tu vem sempre suave e me levanta e puxa, não importa o buraco em que eu esteja. A tua garra é o que me motiva a não desistir dos meus sonhos. Em ti eu encontro força.

Renata Mulinelli:

Careta, observadora, libera na escrita a sensibilidade que a vida aos trancos te tirou. És mais forte e mais bonita do que pensas. E de longe, da Barra do Ribeiro, eu vejo um espírito acolhedor, uma alma iluminadissima, uma mulher inocente, mas nada de ingênua, uma fera pelos seus ideais, pelos seus pensamentos. Ela me traz graça pela vida.

Solange Maria Baginski:

A mãe, a heroína, o herói, o exemplo, a classe diante da vida, o olhar sempre à frente, a vitória depois do tombo, a garra, a persistência de alcançar aquilo que se quer, meu sangue, linda eu te amo e qualquer coisa que eu diga aqui é pequena pra definir esse ser que está absolutamente SEMPRE ao meu lado, minha força vital.

Anelise Fontoura:

Foi em um olhar, e não precisou mais nada, uma branca e a outra negra, e exatamente idênticas, levadas a amadurecer cedo demais, empurradas a criar responsabilidades antes do tempo, mulher de princípios, racional, realista. Vendo a tua vida, vendo a tua forma de levar a vida, eu encontro em ti, amor próprio.

A vida sem vocês não teria graça alguma, eu agradeço todos os dias poder contar com cada uma de vocês e mesmo que nós não conversemos todos os dias, ambas sabemos que estamos presentes na vida uma da outra, e que podemos contar uma com a outra SEMPRE. Eu envio a vocês todos os dias o mais terno amor, muita luz e muita paz. Eu, que não uso muito de sentimentalismos, derreto diante de cada uma, em forma de manteiga eu lhes deixo esse texto que é pequeno perto de todo o sentimento que guardo em mim, mas que é uma homenagem  que eu não poderia deixar de prestar nesse espaço que é tão meu, e que por ser assim não deixa de ser de vocês também, minhas estrelas.

7 de agosto de 2011

Minha Vida e Eu.

Oi, eu escrevo aqui faz algum tempo, mas nunca tive a iniciativa de me apresentar, ou se quer sabia o que apresentar já que eu sou um pouco de cada e sentia um pouco de tudo sobre as coisas. Mas hoje, em um domingo com o tempo nublado e vendo Sex And The City desde o inicio da tarde, sofrendo uma crise de obesidade (porque o meu peso e a dificuldade em que eu me encontro de diminuí-lo estão me apavorando) eu resolvi apresentar para quem me lê um pouco de mim, ou do que eu acho que é de mim e que daqui a alguns meses vai ser diferente, enfim... Tenho hoje 19 anos, sou sagitariana e dona de um gênio mais que difícil, acredito que eu já tenha vivido coisas que muitos de 30 e poucos não viveram ainda, mas não vou entrar em detalhes sobre experiências nem nada desse tipo. Tenho uma mãe maravilhosa a qual conto todos os detalhes da minha vida, e ouço tudo o que ela tem para me dizer SEMPRE. Porque eu aprendi levando na cara que nada melhor do que ouvir alguém que já viveu mais do que você e que já passou por mais coisas que você, se aquilo que você acha que vai dar certo e que é bom para sua vida, vai lhe trazer realmente alegria ou no final vai ser uma baita de uma decepção, e funciona. Mas como eu costumo dizer e acho que é uma opinião da maioria, não adianta alguém nos avisar sobre o certo e o errado ou que vai ser bom ou ruim, nós sempre vamos tentar ver as coisas por nós mesmo, e não pelas experiências de outros, não adiantaria falar futuramente para nossos filhos que aquilo que eles pensam em fazer vai ser ruim se nós não vivemos aquilo. Se na hora em que tivemos a oportunidade de tentar desistimos porque outra pessoa o fez e se deu mal. Eu penso muito no que acontece, comigo e com os outros, sempre que posso avalio as coisas e tento tirar algo de bom de qualquer situação que aconteça na minha vida sendo ela positiva ou negativa. Penso muito no banheiro, pode ser engraçado, mas quando estou sozinha lá é que sinto vontade de escrever o que digito aqui, embora eu esteja na sala! (risos) Sou sincera demais, dura demais quando tenho que falar as coisas para as pessoas, e às vezes o que deveria parecer um conforto ou um conselho soa agressivo, e isso é uma pena para quem ouve, porque eu nunca vou conseguir mudar, e sim! Eu já tentei. Costumo dizer que sou realista diante das situações e tento sempre ver os dois lados da moeda para não ser injusta. Mas gosto de sempre estar com a razão, mesmo quando estou errada, e eu sempre sei quando isso acontece e o mais grave ainda é a dificuldade que tenho de pedir desculpas ou demonstrar sentimentos, a maioria das pessoas que eu amo muito e que eu daria a roupa do corpo (no inverno) para agasalhar, não sabem que eu faria isso por elas. Mas eu não tenho uma necessidade muito grande de demonstrações de afeto, embora tenha meus momentos de carência como qualquer outra mulher. O que importa para mim é saber que posso a qualquer momento contar com aquela pessoa, assim  como ela também pode contar comigo. Moro na capital gaucha, frio de rachar, quero estudar e por incrível que pareça já faz dois meses que a minha vontade não muda, optei pela engenharia civil, parece ser bom, até porque trabalho em uma vidraçaria e acompanho um pouco as obras dos instaladores, gosto de estar no meio da muvuca, não nasci para ficar atrás de uma mesa atendendo telefonemas ou lendo papéis intermináveis, a não ser que esses papeis sejam livros de algum autor do qual eu goste muito, como Caio Fernando, Tati Bernardi ou Martha Medeiros, gosto de mais uma quantidade deles mas não vou me ater a detalhes sobre isso, basta que saibam que eu adoro ler. Para o que precisar, conte comigo, faço tudo, dei até pra cortar alumínio! E funciona. (risos). Deus pode me achar um pouco egoísta, mas sou grata a ele pela vida que tenho. Sou muito feliz, com a minha mãe, com o meu trabalho, com os meus amigos e com as coisas que eu ainda não tenho, mas que penso em adquirir e sei que vou conseguir. Pois além de me sentir riquíssima com tudo isso que disse agora eu ainda sou esperta e inteligente o suficiente para não desistir nunca dos meus sonhos.

Desde já agradeço a todos que fazem parte da minha vida e que a cada dia, mesmo com toda a dificuldade continuam do meu lado tornando os problemas grãos de areia. Meu eterno eu te amo.

Ps.: Este texto é interminável, outros serão feitos, talvez com um curso diferente ou contando que estou casada (o que eu acho pouco provável), em outra profissão e com certeza mais velha.

Mel e Girassóis

O cheiro dele era tão bom nas mãos dela quando ela ia deitar, sem ele. O cheiro dela era tão bom nas mãos dele quando ele ia deitar, sem ela. O corpo dela se amoldava tão bem ao dele, quando dançavam. Ele gostava quando ela passava óleo nas suas costas. Ela gostava quando, depois de muito tempo calada, ele pegava no seu queixo perguntando - o que foi, guria? Ele gostava quando ela dizia sabe, nunca tive um papo com outro cara assim que nem tenho com você. Ela gostava quando ele dizia gozado, você parece uma pessoa que eu conheço há muito tempo. E de quando ele falava calma, você tá tensa, vem cá, e a abraçava e a fazia deitar a cabeça no ombro dele para olhar longe, no horizonte do mar, até que tudo passasse, e tudo passava assim desse jeito. Ele gostava tanto quando ela passava as mãos nos cabelos da nuca dele, aqueles meio crespos, e dizia bobo, você não passa de um menino bobo.

Mel e Girassóis

Ela deixou que a mão dele descesse até abaixo da cintura dela. E numa batida mais forte da percussão, num rodopio, girando juntos, ela pediu:
- Deixa eu cuidar de você.
Ele disse:
- Deixo.

6 de agosto de 2011

Dama da Noite

Nem é você que eu espero, já te falei. Aquele um vai entrar um dia talvez por essa mesma porta, sem avisar. Diferente dessa gente toda vestida de preto, com cabelo arrepiadinho. Se quiser eu piro, e imagino ele de capa de gabardine, chapéu molhado, barba de dois dias, cigarro no canto da boca, bem noir. Mas isso é filme, ele não. Ele é de um jeito que ainda não sei, porque nem vi. Vai olhar direto para mim. Ele vai sentar na minha mesa, me olhar no olho, pegar na minha mão, encostar seu joelho quente na minha coxa fria e dizer: vem  comigo. É por ele que eu venho aqui, boy, quase toda noite. Não por você, por outros como você. Pra ele, me guardo. Ria de mim, mas estou aqui parada, bêbada, pateta e ridícula, só porque no meio desse lixo todo procuro O Verdadeiro Amor. Cuidado comigo: um dia encontro.

Dama da Noite

Compreendo, compreendo sim, eu compreendo sempre, sou uma mulher muito compreensiva. Sou tão maravilhosamente compreensiva

Dama da Noite

O que importa é que você entra por um ouvido meu e sai pelo outro, sabia? Você não fica, você não marca. Eu sei que fico, em você, eu sei que marco você. Marco fundo. Eu sei que, daqui a um tempo, quando você estiver rodando na roda, vai lembrar que, uma noite, sentou ao lado de uma mina louca que te disse coisas, que te falou no sexo, na solidão, na morte

Dama da Noite

Eu sei, mas essa sede de outro corpo é que nos deixa loucos e vai matando a gente aos pouquinhos.

Dama da Noite

Eu sou a dama da noite que vai te contaminar com seu perfume venenoso e mortal. Eu sou a flor carnívora e noturna que vai te entontecer e te arrastar para o fundo de seu jardim pestilento. Eu sou a dama maldita que, sem nenhuma piedade, vai te poluir com todos os líquidos, contaminar teu sangue com todos os vírus. Cuidado comigo: eu sou a dama que mata, boy.

Dama da Noite

Você não viu nada, você nem viu o amor. Que idade você tem, vinte? Tem cara de doze. Já nasceu de  camisinha em punho, morrendo de medo de pegar Aids.
(...) O boy, que grande merda fizeram com a tua cabecinha, hein? Você nem beija na boca sem morrer de cagaço. Transmite pela saliva, você leu em algum lugar.

Dama da Noite

A gente teve uma hora que parecia que ia dar certo. Ia dar, ia dar, sabe quando vai dar?

Dama da Noite

Tem umas coisas que a gente vai deixando, vai deixando, vai deixando de ser e nem percebe. Quando viu, babau, já não é mais. Mocidade é isso aí, sabia?

Dama da Noite

Sozinho em casa, sozinho na cidade, sozinho no mundo. Vai doer. tanto, menino. Ai como eu queria tanto agora ter uma alma portuguesa para te aconchegar ao meu seio e te poupar essas futuras dores dilaceradas. Como queria tanto saber poder te avisar: vai pelo caminho da esquerda, boy, que pelo da direita tem lobo mau e solidão medonha.

Dama da Noite



COMO se eu estivesse por fora do movimento da vida. A vida rolando por aí feito roda-gigante, com todo mundo dentro, e eu aqui parada, pateta, sentada no bar. Sem fazer nada, como se tivesse desaprendido a linguagem dos outros. A linguagem que eles usam para se comunicar quando rodam assim e assim por diante nessa roda-gigante. Você tem um passe para a roda-gigante, uma senha, um código, sei lá. Você fala qualquer coisa tipo bá, por exemplo, então o cara deixa você entrar, sentar e rodar junto com os outros. Mas eu fico sempre do lado de fora. Aqui parada, sem saber a palavra certa, sem conseguir adivinhar. Olhando de fora, a cara cheia, louca de vontade de estar lá, rodando junto com eles nessa roda idiota ta me entendendo, garotão?

“E sonho esse sonho
que se estende
em rua, em rua,
em rua
em vão”

5 de agosto de 2011

Uma Praiazinha de Areia Bem Clara, Ali, Na Beira da Sanga.

Penso às vezes que, quando eu estiver pronto, embora não tenha a menor idéia de como possa ser estar-pronto, um dia, um dia comum, um dia qualquer, um dia igual hoje, vou encontrar você claro e calmo sentado no Bar, à minha espera. Na mesa à sua frente, um copo de vinho que você vai erguer no ar feito uma saudação, até que eu me aproxime sem que você desapareça, para que eu possa então te abraçar dando um soco leve no ombro, sem te machucar.

4 de agosto de 2011

O Rapaz Mais Triste do Mundo

Quero mais um uísque, outra carreira. Tudo aos poucos vira dia e a vida - ah, a vida - pode ser medo e mel quando você se entrega e vê, mesmo de longe. Não, não quero nem preciso nada se você me tocar. Estendo a mão.
Depois suspiro, gelado. E te abandono.

O Rapaz Mais Triste do Mundo

Nós nos inventamos um ao outro porque éramos tudo o que precisávamos para continuar vivendo.

O Rapaz Mais Triste do Mundo

Eu quero me matar, eu não entendo estar vivo, eu não tenho pai, minha mãe me sacode todo dia e grita acorda, levanta, vadio, vai trabalhar. Eu quero ler poesia, eu nunca tive um amigo, eu nunca recebi uma carta. Fico caminhando à noite pelos bares, eu tenho medo de dormir, eu tenho medo de acordar, acabo jogando sinuca a madrugada toda e indo dormir quando o sol já está acordando e eu completamente bêbado. Eu nasci neste tempo em que tudo acabou, eu não tenho futuro, eu não acredito em nada. (...) O homem diz: não tenha medo, vai passar. Não tenha medo, menino. Você vai encontrar um jeito certo, embora não exista o jeito certo. Mas você vai encontrar o seu jeito, e é ele que importa. Se você souber segurar, pode até ser bonito.

O Rapaz Mais Triste do Mundo

Eles se contemplam sem desejo. Eles se contemplam doces, desarmados, cúmplices, abandonados, pungentes, severos, companheiros. Apiedados. Eles armam palavras que chegam até mim em fragmentos partidos pelo ar que nos separa, em forma de interrogações mansas, hesitantes, perguntas que cercam com cautela e encantamento um reconhecimento que deixou de ser noturno para transformar-se em qualquer outra coisa a que ainda não dei nome, e não sei se darei, tão luminosa que ameaça cegar a mim também.

O Rapaz Mais Triste do Mundo

Amar o mesmo de si no outro às vezes acorrenta, mas quando os corpos se tocam as mentes conseguem voar para bem mais longe que o horizonte, que não se vê nunca daqui.