28 de setembro de 2011

Ao camisa 10



Eu pergunto a Deus, os motivos que fazem nós amarmos e admirarmos tanto uma pessoa, eu acredito que não seja apenas por ela ter ajudado a ‘cegonha’ a nos trazer.  O meu pai, ele não sabe, mas não tem uma data que seja importante pra mim na qual eu não o queira comigo, e até as não importantes também. Eu sinto falta todos os dias, do abraço e do colo dele, e daquele jeito carinhoso de dizer ‘esse garoto não é pra você’ ou então aquelas mijadas que sempre são dadas, porque você fala algum palavrão ou porque não fez algo que deveria ter sido feito. Tem os aniversários, dia dos pais, valsa dos 15 anos, conselhos com garotos, ligar de madrugada pra ir buscar você na festa em que você estiver, os famosos conselhos de classe. Eu me lembro de quando era criança e meu pai chegava sempre de madrugada em casa, com blocos de folhas e canetas, e eu adorava e brincava de escritório por semanas. Quando meus pais se separaram ele vinha nos visitar seguidamente, passava semanas às vezes, mas isso com o tempo foi diminuindo, hoje quase não nos vemos, nesta data de hoje (29/09/2011) devem fazer uns 3 anos ou mais. Essas coisas de pais e filhos que eu citei acima, nenhuma eu fiz com meu pai, e mesmo assim eu o amo INFINITAMENTE, pela sua beleza, pelo seu caráter, pela sua postura em relação a vida, pelo profissional que ele é, pelo pai que ele poderia ter sido se tivéssemos mais tempo juntos, por se vestir bem, por se cuidar, por amar a si mesmo, por não ter medo de largar tudo pelo seu próprio bem e por ser tão espantosamente parecido comigo. Pai, hoje eu queria te dizer que eu te amo muito, que eu sinto muito a tua falta e todos os dias, que tu foste embora de casa e se separou da mãe, mas no meu coração tu ainda tens moradia, e que na minha vida tu sempre vai ter lugar especial, eu penso todos os dias em ti, hoje mais do que sempre e até te escrevo pra oficializar essa falta que me consome e que me faz mais triste em alguns dias nos quais um abraço teu resolveria muitos dos meus problemas, eu vejo outros pais com seus filhos e não tenho vergonha de admitir que muitas das vezes, diria que quase sempre eu sinto inveja de eles poderem estar com seus pais como eu gostaria de estar com meu e que hoje por causa da distancia e de outros motivos banais nós nos encontramos afastados e que até desconhecidos um do outro. Eu amadureci muito com a tua falta, e não digo que não tenha recebido uma ótima educação da mãe porque seria injusto com ela, mas se eu tivesse o teu apoio e ela tivesse tido a tua ajuda, sem duvidas hoje eu seria uma pessoa diferente, eu teria tido uma vida diferente. Eu estaria mais feliz.

 Beijos imensos da tua filha.
Não esquece nunca do meu amor, e te cuida onde tu estiveres. Que daqui de onde eu estou te mando as melhores vibrações possíveis. Muita paz pai, muita luz nos dias de hoje, onde a loucura impera e temos que lutar diariamente por dias melhores.

Até...

27 de setembro de 2011

Confusão - I


Eu busco mil maneiras de me encontrar, e nessa tentativa acho mil caminhos para me perder, acho que a vida prega peças na gente, como por exemplo, a forma que ela nos faz ver as coisas e amadurecer. Falando a um amigo de como eu estava me sentido (futuro psicólogo, inclusive) ele me falou que isso é porque existem coisas na minha vida com as quais eu não estou satisfeita, e isso me faz repensar as coisas e amadurecer com elas. E até pode ser... Eu já quis tantas coisas que hoje não quero mais, sonhei vários sonhos que não me lembro, criei expectativas que foram destruídas pelo tempo, conheci pessoas que se esqueceram de mim e que foram esquecidas, sinto saudades de uma época da minha vida na qual eu quis muito sair enquanto ela era vivida. Na verdade esse é um texto sem deduções ou filosofias, é um desabafo de como a vida nos engana. Ela nos mostra uma face de alguém que lhe sorri com flores nas mãos, te enganando, fazendo você ir sem pestanejar a lugares nos quais você não imaginava andar e logo em seguida te faz olhar para trás com vontade de voltar ao inicio e percorrer outro caminho. Talvez seja pelo meu signo, talvez pela vontade de viver a vida que me consome, talvez por minha vontade de ser alguém, de ter uma profissão que me renda dinheiro ao mesmo tempo em que prazeres, talvez por eu não querer mais ser alguém que trabalha pra outro alguém que não pra mim mesmo ou por ver minha mãe passar trabalho a vida toda e por não querer o mesmo pra mim, talvez... talvez... talvez... Enquanto eu quero abraçar tudo e fazer tudo, tentar todas as possibilidades para me fazer realizada, eu fico aqui, escrevendo sobre todas essas duvidas enquanto não faça nada. Porque na realidade me sinto presa as minhas vontades e a essa minha incapacidade de definir prioridades e acabo ficando parada sem me mover. Bem se diz que não se tem tudo o que se quer! Felizes aqueles que são satisfeitos com o que tem, eu não... EU quero é MAIS e tanto que nem sei por onde começar.