8 de agosto de 2011

Alma Gêmea

Domingo passei o dia vendo Sex And The City, tempo nublado, meio frio, era o que tinha de melhor para ser feito, e foi em um desses episódios que eu ouvi uma coisa que me emocionou muito, em uma conversa em que as amigas Carrie, Miranda, Charlotte e Samantha estavam tendo sobre uma crise de carência afetiva onde elas diziam que achavam que não tinham uma alma gêmea, dessas que casais usam quando estão apaixonados, quando Charlotte disse a seguinte frase: ‘E se, nós formos à alma gêmea uma da outra. ’ E eu percebi, de como eu sou feliz quando estou na presença de vocês. Como eu me sinto bem e segura. E se eu penso que sozinha posso ser grande, junto de vocês consigo ser gigante. E não é em corpo não, é em espírito, posso dizer sem sombra de duvidas, que quando estou com qualquer uma de vocês sinto-me iluminada. Hoje eu escrevo para vocês, que estão junto de mim nas piores horas, e eu não vou lembrar as melhores porque para os melhores momentos existem muitos, mas para os momentos ruins, nesse que a gente não enxerga nada claramente e tudo parece perdido vocês, minhas amigas posso até ser modesta em dizer irmãs, estão comigo e me ensinam que é só mais uma fase, cada uma com sua qualidade e seu defeito, completam a minha vida.  E não podia deixar de citá-las individualmente mencionando o que as torna tão especiais...

Camila Porto:

Segura de si, mulher, discreta, quando tudo está voando e as coisas parecem não terem um lugar para se encaixar, TU, chega com uma calma absurda e puxa tudo de volta para seu devido lugar, mostrando que cada coisa tem o tempo certo e que só basta paciência e encarar as coisas como são. Nada foge do seu ponto de equilíbrio e mesmo que as coisas estejam loucas lá fora, em ti eu encontro paz.

Pauline Souza:

Menina, meiga, decidida, sempre me dizendo ‘onde eu for, te levo comigo’ e não há quem duvide, mulher que alça grandes vôos, o teu lugar é no topo. Meio inconseqüente, duvida da própria inteligência, mas é maior do que pensa. O mundo é pequeno pra ti, e no meu medo de tentar, no desanimo dos dias, tu vem sempre suave e me levanta e puxa, não importa o buraco em que eu esteja. A tua garra é o que me motiva a não desistir dos meus sonhos. Em ti eu encontro força.

Renata Mulinelli:

Careta, observadora, libera na escrita a sensibilidade que a vida aos trancos te tirou. És mais forte e mais bonita do que pensas. E de longe, da Barra do Ribeiro, eu vejo um espírito acolhedor, uma alma iluminadissima, uma mulher inocente, mas nada de ingênua, uma fera pelos seus ideais, pelos seus pensamentos. Ela me traz graça pela vida.

Solange Maria Baginski:

A mãe, a heroína, o herói, o exemplo, a classe diante da vida, o olhar sempre à frente, a vitória depois do tombo, a garra, a persistência de alcançar aquilo que se quer, meu sangue, linda eu te amo e qualquer coisa que eu diga aqui é pequena pra definir esse ser que está absolutamente SEMPRE ao meu lado, minha força vital.

Anelise Fontoura:

Foi em um olhar, e não precisou mais nada, uma branca e a outra negra, e exatamente idênticas, levadas a amadurecer cedo demais, empurradas a criar responsabilidades antes do tempo, mulher de princípios, racional, realista. Vendo a tua vida, vendo a tua forma de levar a vida, eu encontro em ti, amor próprio.

A vida sem vocês não teria graça alguma, eu agradeço todos os dias poder contar com cada uma de vocês e mesmo que nós não conversemos todos os dias, ambas sabemos que estamos presentes na vida uma da outra, e que podemos contar uma com a outra SEMPRE. Eu envio a vocês todos os dias o mais terno amor, muita luz e muita paz. Eu, que não uso muito de sentimentalismos, derreto diante de cada uma, em forma de manteiga eu lhes deixo esse texto que é pequeno perto de todo o sentimento que guardo em mim, mas que é uma homenagem  que eu não poderia deixar de prestar nesse espaço que é tão meu, e que por ser assim não deixa de ser de vocês também, minhas estrelas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário