28 de abril de 2011

Lucíola

Aqueles beijos, não é possível que os gere duas vezes o mesmo lábio, porque onde nascem queimam, como certas plantas vorazes que passam deixando a terra maninha e estéril. Quando ela colou a sua boca na minha pareceu-me que todo o meu ser se difundia na ardente inspiração; senti fugir-me a vida, como o liquido de um vaso haurido em ávido e longo sorvo.

Havia na fúria amorosa dessa mulher um quer que seja na rapacidade da fera.

Sedenta de gozo, era preciso que o bebesse por todos os poros, de um só trago, num único e imenso beijo, sem pausa, sem intermitência e sem repouso. Era serpente que enlaçava a presa nas suas mil voltas, triturando-lhe o corpo; era vertigem que vos arrebatava a consciência da própria existência, alheava um homem de si e o fazia viver mais anos em uma hora do que em toda a sua vida.


27 de abril de 2011

Lucíola

O vício também tem sua beleza e sua atração, como a virtude; a diferença é que no âmago do fruto os lábios encontram terra e cinza em vez de polpa deliciosa.


José de Alencar.

Lucíola

-- Nem tanto. Há mulheres, que, ou por interesse, ou por amizade, ou mesmo por hábito, se inquietam com a idéia de que seu amante as abandone; mas para esta é absolutamente indiferente. Tem dias em que está de um humor insuportável: fica uma estátua, e não há forças humanas que possam arrancar daquela massa inerte um sorriso, uma palavra, um movimento. Se o homem não possui grande dose de paciência para sofrê-la calado, ela fecha-lhe a porta muito delicadamente, e manda-lhe dizer pela criada-- <<que tenha a bondade de deixá-la tranqüila para todo o sempre».-- E uma vez dito, não volta.


José de Alencar.

Lucíola

(...) no livro da vida não se volta, quando se quer, a página já lida, para melhor entendê-la; nem pode-se fazer a pausa necessária à reflexão. Os acontecimentos nos tomam e nos arrebatam às vezes tão rapidamente que nem deixam volver um olhar ao caminho percorrido.


José de Alencar.

Os Cavalos Brancos de Napoleão

E começou a afundar. Porque ver é permitido, mas sentir já é perigoso.


Caio F.

25 de abril de 2011

"Ninguém consegue amar simplesmente porque o outro seria o melhor para gente. Amor não se convence."

Fabrício Carpinejar.

24 de abril de 2011

"Não adianta querer pisar no meu coração porque você não vai conseguir. Duro como pedra que ele é, seu sapato vai bambear e é você mesmo quem vai cair. Nem tente."


Rani Ghazzaoui.
"E saber que está diferente, que parece ter amadurecido e visto que a vida é mais do que rabos de saia é reconfortante. E eu ando tão feliz comigo, parece que os dias tem sorrido pra mim, embora tenham acontecido coisas inesperadas. Só tenho tido expectativas boas. Acho que eu estava esperando você amadurecer para que eu pudesse amadurecer também."

I.

Reserve um Tempo Para Você

Observando os ciclos da natureza, sempre se renovando, notamos o mecanismo principal do processo evolutivo. Os ciclos buscam a harmonia, a perfeição, vão acrescentando conhecimento e experiência. Nosso corpo também produz em condições e tempo necessários as reações para que possamos nos reequilibrar, aprender e evoluir. O que nos leva à reflexão: tempo é justamente o que não temos, não é mesmo? Tempo de se equilibrar, tempo de assimilar, tempo de se cuidar. Tempo de respeitar o tempo. Não, não temos mais... As prioridades são produzir, trabalhar, ganhar. Tudo isso agora, não amanhã, muito menos para um futuro incerto. Mas perdemos muito escolhendo essas prioridades. Perdemos o equilíbrio, ou melhor, a chance de mudança de rumo. A percepção do fluir dos ciclos, o aprendizado através do processo.

EM BUSCA DO EQUILÍBRIO

Prioridades erradas trazem desequilíbrio. E a intenção principal do desequilíbrio, do desconforto, da insatisfação é à busca do equilíbrio e a do autoconhecimento, seja através de florais, da terapia holística, pela meditação, etc. São ferramentas de suporte para enfrentar o desafio de se autossuperar. Assim, enxergamos o desequilíbrio, a crise, como parte de um processo, o início de um movimento de aperfeiçoamento. Uma dica para organizar a mente e compreender o que é ou não prioridade é o uso da pedra sodalita. Nesses momentos pode-se colocá-la no chakra frontal (região entre as sombrancelhas) de 5 a 20 minutos.

SOBRE A SODALITA

A Sodalita prepara a mente para o recebimento da visão interior e do conhecimento intuitivo. Extrai pensamentos profundos desobstruindo a mente para que funcione apropriadamente. Proporciona a habilidade de pensar de forma racional e intelectual para chegar a conclusões lógicas. Esta pedra é também utilizada para obter compreensão intelectual da essência de um indivíduo ou situação. Remove antigos padrões mentais do subconsciente para abrir caminho ao pensamento consciente. Ajuda a deixar pra trás o passado e olhar para o futuro. Sua função é estabilizar o fluxo desordenado, num ritmo equilibrado, transformando a energia confusa em clara e objetiva.

Simone Kobayashi.

A Um Ausente.

Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.


Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?


Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.


Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.


Carlos Drummond de Andrade.

Soneto do Amor Total.

Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

Vinicius de Moraes.
No caminho onde o amor impera, existe uma felicidade guardada que ora se derrama, ora se dosa a conta-gotas quase que para provocar um receio. É que não estamos nunca de todo conquistados e até os laços mais eternos também têm suas fragilidades.E, ao mesmo tempo em que numa relação saudável podemos ser tão transparentes, há um pequeno mistério a ser constantemente desvendado.Como se em determinados momentos, tivéssemos que segurar o suspiro, ou guardar a frase de efeito para hora mais adequada. Como quando mesmo com muita vontade de dormir junto, tivéssemos que escolher a saudade pra valorizar aquele abraço.Amor assusta e dói, mesmo quando é só prazer.Toda possibilidade de passo contém em si a do tropeço.E é assim que a vida trama o inusitado para que a alegria não se esvazie na previsibilidade dos tempos. Não existe fórmula para que o amor dê certo, posto que tudo é tão dinâmico sempre.Mas existem duas virtudes que suavizam quaisquer conflitos: a compreensão e a paciência. Compreender é um exercício de alteridade: você, ao invés de julgar, se coloca no lugar do outro numa passividade profunda até que haja sentido nas atitudes, pensamentos e argumentos dele.E a paciência que se precisa ter pra esperar os processos, o amanhecer, a chegada do fim da tarde pro reencontro.Paciência para esperar que todos os sentimentos se acomodem em meio a todo aquele amor desmesurado.Em meio a todo aquele medo de que tudo dê errado.Compreensão e paciência podem preencher o vazio mais maciço. E as duas provêm de uma sensibilidade lapidada.

Marla de Queiroz.

A Minha Felicidade Não é a Sua.

(...) E assim é. Temos a pretensão de decretar quem é feliz ou infeliz de acordo com nossa ótica particular, como se felicidade fosse algo que pudesse ser visualizado. Somos apresentados a alguém com olheiras profundas e imediatamente passamos a lamentar suas prováveis noites insones causadas por problemas tortuosos. Ou alguém faz uma queixa infantil da esposa e rapidamente decretamos que é um fracassado no amor, que seu casamento deve ser um inferno, pobre sujeito. É nessas horas que junto as pontas dos cinco dedos da mão e sacudo-a no ar, feito uma italiana indignada: mas que sabemos nós da vida dos ouitros, catzo?
Nossos momentos felizes se dão, quase todos, na intimidade, quando ninguém está nos vendo. O barulho da chave da porta, de madrugada, trazendo um adolescente de volta pra casa. O cálice de vinho oferecido por uma amiga com quem acabamos de fazer as pazes. Sentar no cinema, sozinha, para assistir o filme tão esperado. Depois de anos com o coração em marcha lenta, rever um ex-amor e descobrir que ainda é capaz de sentir palpitações. Os acordos secretos que temos com com filhos, netos, amigos. A emoção provocada por uma frase de um livro. A felicidade de uma cura. E a infelicidade aceita como parte do jogo - ninguém é tão feliz quanto aquele que lida bem com suas precariedades.
O que sei eu sobre aquele que parece radiante e aquela outra que parece à beira do suicídio? Eles podem parecer o que for e eu seguirei sem saber de nada, sem saber de onde eles extraem prazer e dor, como administram seus azedumes e seus êxtases, e muito menos por quanto anda a cotação de felicidade em suas vidas. Costumamos julgar roupas, comportamento, caráter - juízes indefectíveis que somos da vida alheia-, mas é um atrevimento nos outorgarmos o direito de reconhecer, apenas pelas aparências, quem sofre e quem está em paz.
A sua felicidade não é a minha, e a minha não é a de ninguém. Não se sabe nunca o que emociona intimamente uma pessoa, a que ela recorre para conquistar serenidade, em quais pensamentos se ampara quando quer descansar do mundo, o quanto de energia coloca no que faz, e no que ela é capaz de desfazer para manter-se sã. Toda felicidade é construída por emoções secretas. Podem até comentar sobre nós, mas nos capturar, só se permitirmos.

Martha Medeiros.

Uma reflexão sobre o amor e a vida

Às vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado.
Às vezes nos falta esperança. Às vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa.
Às vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar, tanto quanto precisamos respirar...é nossa razão de existir.
Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino.
Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta nosso coração pela falta de uma única pessoa.
Às vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver, até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um pôr do sol, a magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto.
É a força da natureza nos chamando para a vida.
Você descobre que as pessoas que pareciam ser sinceras e receberam sua confiança, te traíram sem qualquer piedade.
Você entende que o que para você era amizade, para outros era apenas conveniência, oportunismo.
Você descobre que algumas pessoas nunca disseram eu te amo, e por isso nunca fizeram amor, apenas transaram... Descobre também que outras disseram eu te amo uma única vez.
E agora temem dizer novamente, e com razão, mas se o seu sentimento for sincero poderá ajudá-las a reconstruir um coração quebrado.
Assim ao conhecer alguém, preste atenção no caminho que essa pessoa percorreu, são fatores importantes: a relação com a família, as condições econômicas nas quais se desenvolveu (dificuldades extremas ou facilidades excessivas formam um caráter), os relacionamentos anteriores
e as razões do rompimento, seus sonhos, ideais e objetivos.
Não deixe de acreditar no amor. Mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá.
Manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam. E certifique-se de que quando estão juntos, aquele abraço vale mais que qualquer palavra.
Esteja aberto a algumas alterações, mas jamais abra mão de tudo, pois se essa pessoa te deixar, então nada irá lhe restar.
Tenha sempre em mente que às vezes tentar salvar um relacionamento, manter um grande amor, pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproco.
Pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda mais intenso, do que teria sido no passado.
Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário.
Existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo.
A tristeza pode ser intensa, mas jamais será eterna.
A felicidade pode demorar a chegar, mas o importante é que ela venha para ficar e não esteja apenas de passagem...



François de Bitencourt.
"Minha vontade agora é sumir . Chamar você . Me esconder . Ir até a sua casa e te beijar e dizer que te amo e que você é importante demais na minha vida para eu te abandonar . Sacudir você e dizer que você é um otário porque está me perdendo dessa maneira . Minha vontade é esquecer você . Apagar você da minha vida . Lembrar de você a cada manhã . Pensar em você para dormir melhor . Então eu percebo : IT’S ME, e minhas vontades são bipolares demais . Só o que não é bipolar demais é a minha ganância por te ter . Sim, eu escolheria você . Se me dessem um último pedido, eu escolheria você . Se a vida acabasse hoje ou daqui mil anos, eu escolheria você."

Rani Gazzaoui.
"Indiferença. É difícil responder aos estímulos se você não tem mais um foco, se você não espera mais nada da vida."
Coisas que um homem jamais deveria usar:
boné a noite, corrente grossa, camisa pra dentro da calça e eu.




Tati Bernardi.
"Quando falo dessas pequenas felicidades certas,
que estão diante de cada janela,
uns dizem que essas coisas não existem,
outros que só existem diante das minhas janelas,
e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar,
para poder vê-las assim."

Cecília Meireles.

"E que fique muito mal explicado.
Não faço força para ser entendido.
Quem faz sentido é soldado"


Mário Quintana.
"É melhor um passo lento por caminho reto do que muita velocidade fora do caminho."

São Leão Magno.
Hoje eu só queria tocar seu rosto.
Ver você se render, desarmar!
Ainda sinto saudades, todos os dias..
Ainda penso em nós.
Ainda amo você.

I.


'A vontade de falar tudo isso pra você
Já virou mais uma página
Palavras são como os boêmios
Gostam de sair à noite.' 

Wilson Sideral.
"O bonito deles é a coisa mais simples em suas histórias: de alguma forma silenciosa e cheia de esperança, eles esperavam um pelo outro, embora nenhum pedido tenha sido feito."

Cáh Morandi.
"Há quem me diga hoje que a nossa história acabou de um jeito errado, que nós daríamos um belo par de amantes, e mesmo com toda frustração de ter me humilhado tanto pra você, eu digo sem medo de errar mais um vez: A nossa história não acabou, ela só mudou seu rumo. Antes eramos dois estranhos querendo saber o que havia por trás do outro, depois que descobrimos percebemos que era bom demais pra ser verdade, e nessa hora alguém tinha que abandonar o navio, e esse alguém foi você. Não é de minha natureza desistir das coisas, então eu fiquei firme e forte na minha decisão de te ter, e enfrentei tempestades terríveis sozinha. Você já tinha desistido de nós mas não conseguia me dar adeus. Hoje, sentindo que você está forte o bastante para olhar pra trás e não sentir remorso algum, eu posso te dizer que fique tranquilo, pois chegou minha vez de abandonar o navio. E mesmo sem saber nadar, pra quem mergulhou de cabeça em você, cair em mar aberto vai ser moleza.''
"Mesmo que as pessoas mudem e suas vidas se reorganizem, os amigos devem ser amigos para sempre, mesmo que não tenham nada em comum, somente compartilhar as mesmas recordações. Pois boas lembranças, são marcantes,e o que é marcante nunca se esquece. Uma grande amizade mesmo com o passar do tempo é cultivada assim!"

Vinicius de Moraes.

“É necessário acreditar em alguma coisa que possa acalmar o absurdo da vida.”

Caro amigo,

Hoje eu pensei em tudo que aconteceu comigo, as vezes eu penso demais, e tento achar soluções para problemas que eu não posso resolver, estou cansada!
Falamos uma vez de como as coisas mudam e o mundo hoje amanhã já não está o mesmo, e que assim as mudanças se sucedem repentinamente todos os dias, muitas vezes nos deixando no meio do caminho perdidos. Porque até ontem você teria que virar naquela esquina a esquerda, mas agora aquele caminho virou uma rua sem saída, e a saída está em procurar outro caminho. Você se perde e se desespera, ansioso age por impulso e acaba fazendo coisas das quais segundos depois você se arrepende, infelizmente não se pode retroceder. Eu nem sei sobre o que eu escrevo, até me admiro que alguém leia o que está escrito aqui, começo qualquer coisa de uma forma e termino em um sentido oposto, sem sentido, mas sempre tratando do mesmo assunto.. Meus medos, inseguranças, problemas.. enfim. O problema é que por mais que eu ache que deva fazer tal coisa, que ouça as pessoas me dizerem que assim é melhor pra mim, que elas se importam e etc.. Não quero mais ouvir ninguém, não quero mais pensar no que é melhor ou pior, nem agir de forma mais sensata e consciente. Eu simplesmente quero fazer o que meu coração pede desesperado que seja feito. Todos os dias ele me pede a mesma coisa. O meu cansaço se encontra nessa luta constante do que é melhor, do que os outros pensam ser melhor, do que eu acho que seja o melhor e do que faz meu coração se sentir melhor! Em que ponto você pode saber que a sua luta é em uma causa perdida? Em que momento aquilo que você planejou já não se encaixa mais nos seus novos planos? Como você pode ter certeza que abandonando o que até ontem era tudo para você porque os outros acham que isso é o melhor a ser feito pela sua vida, pela sua sanidade é o melhor a ser feito? Estou cansada das pessoas de fora da história, que não conhecem meus parágrafos acharem que o ponto final é melhor naquela frase. Eu escrevo cada linha da minha vida conforme o meu sentir, o que se passa dentro de mim, minhas angustias, meus traumas, necessidades, carências.. ninguém pode saber, porque nem sempre se revela as coisas como realmente são, você se preserva. Eu acho que como escritora da minha história eu tenho o direito de decidir quando um capítulo chega ao fim. Em que ponto final ele se termina com mais emoção. Então não basta impor escolhas para que eu opte por isto ou aquilo, o meu coração na hora que estiver escrevendo aquela parte da minha vida, vai saber o que fazer, o que contar para quem me lê! Não adianta as pessoas tentarem me persuadir a fazer da minha vida um resumo. Eu quero um livro. E quem dita a pontuação sou eu, mesmo tendo erros ortográficos, eu sei onde é o lugar de cada ponto. Obrigada pela compreensão!

I.

Lobotomia

(...) Esse é o problema de gostar das pessoas. Pessoas fodem sua vida, partem seu coração, comem outras pessoas quando deviam estar só comendo você. Pessoas têm passados de histórias de amor que não foram com você e, no fundo, a gente sempre sabe que a gente também tem o nosso e faz parte do passado comprometedor de alguém. E pior, até onde vale à pena lutar com garras afiadas contra o passado de quem a gente ama, ou esconder com todos os recursos de privacidade o que já aconteceu na nossa própria vida?
O problema do meu ciúme é que ele é tão grande que acaba ficando sem foco. Meu ciúme não tem nome porque eu consigo dar variados nomes à ele todos os dias, em todas as suas ações eu consigo achar alguém que está ali, bem escondidinho no canto do seu cérebro que administra todas as lembranças que foram feitas antes de eu chegar. Meu ciúme é tão imbecil, que eu às vezes penso que se eu abandonar você eu posso finalmente me tornar uma lembrança grossa que também caber (e ainda roubar o lugar de algumas pessoas) nessa parcela de massa incefálica que eu ainda não posso entrar. Se eu fosse passado e não presente, seria eu que ia importunar, não quem estaria sendo importunada.
Daí eu fico inspecionando meu passado de perto todos os dias atrás da moita, que é pra eu me lembrar que eu também tenho um e que, se você resolvesse futucar aqui e ali o tempo todo (como faço eu), você também sentiria ciúme de mim. Mas aí me vem sempre aquela outra pergunta: será que você não sente? Será que enquanto eu durmo você não pega o meu celular e lê todas as minhas mensagens na vontade de achar alguma coisa que explique o porquê eu vigio tão de perto cada um dos seus suspiros mais longos? Ou será que só sou eu mesmo que sou a louca deste relacionamento e não entendo que depois de tanto tempo não resolve mais ter ciúme, ou se acredita no que se tem ou se vai embora e pronto?
Vocês me olharam com caras conhecidas porque, afinal, vocês supunham mesmo me conhecer muito bem. Um beijinho aqui, há anos atrás, algum segredo que naquela época era muito importante, mas que hoje eu nem me lembro mais. Talvez você conheça o nome da minha música preferida e talvez saiba quem é minha melhor amiga e qual é o time do meu pai. Talvez eu tenha um dia dito estar apaixonada por você, talvez eu tenha chorado algumas noites – ou até muitas – porque você me traiu, ou porque me deixou, ou porque não quis me namorar.
E você, amor, você me olha fundo porque conhece o meu bem e o meu mal. Enquanto os outros guardam de mim memórias pequenas, você me reconhece nos meus gestos mais comuns e me enfrenta no meio dos meus devaneios, no meio dos meus ataques de morte, das minhas tentativas de guerra contra todos os demônios que habitam minha cabeça porque ela é sempre cheia de tantas coisas, funcionando muito mais rápido e atribuladamente do que a das pessoas normais. Eu tenho tanto medo de um dia uma mulher normal, com cabelo liso, roupas iguais às de todo mundo e senso de humor medíocre te leve de mim. Porque essas pessoas que são só pessoas – realmente iguais à seus iguais – são normalmente mais fáceis de se conviver. Porque eu sei que você acha a minha loucura bonita e até meio poética, mas eu sei também que você já achou tudo isso muito mais lírico do que acha hoje e que, um dia, pode de verdade cansar de tanto surto.
Eu disse que não senti nada por ele, mas é uma meia verdade, já que não é exatamente uma mentira. Eu senti nada, mas tem dias que eu busco em todos aquilo que você não me dá mais porque já me tem do seu lado há muito tempo. E eles me dão aos montes, mas na hora H eu recuso porque nada do que eles possam me dar vai ser você. E a verdade mais clara de todas as meias que eu tenho dito ao longo desse texto todo é que essas minhas ações repetidas durante tantos anos, nada mais são do que uma bandeira estendida por detrás da trincheira, pedindo trégua e tentando chamar sua atenção.
Na nossa guerra diária de passados, de outros amores, de decisões, de foco, de fica, de fode, de fato, não é a vontade de ganhar de você que me move, mas sim o medo de te perder. A qualquer hora sem aviso, para qualquer uma dessas coisas.
Meu ciúme é tanto que eu acabo olhando muito para o meu passado. E eu sei que sou louca – você me lembra todos os dias e eu também tenho consciência – , mas se eu encontrasse o tão falado gênio da lâmpada hoje, o pedido seria simples e sim, insano: um mundo sem passado, pra mim e pra você.

Rani Ghazzaoui.

Indiferença. ♪

' Do que é ruim eu me esqueço
O bom eu quero mais
Na tristeza eu quero avesso
Agora quero paz
Saiba que todo fim
É um recomeço
Pra nossa vida quero amor
O resto eu desconheço.. '


Móveis Coloniais de Acaju.

Diga Não aos Covardes

"Intenções soltas e desejos desconexos. Esse mistério todo é uma violência contra a minha inteligência. Sejamos diretos para não sermos idiotas: eu te quero. Você me quer? Não sabe? Ah, então vá pra puta que te pariu! Seja inteligente, faça jus à espécie, seja Sapiens. Perceba o sinal verde, ultrapasse. Eu não sou morna e, se você não quiser se queimar, morra na temperatura do vômito. E bem longe de mim! Eu ainda quero muito. Quero as três da manhã de um sábado e não as sete da tarde de uma quarta. Vamos viver uma história de verdade ou vou ter que te mandar pastar com outras vaquinhas? A sorte é sua de ser amado por mim, e eu quero agora, ontem, semana passada.. Amanhã não sei mais das minhas prioridades: posso querer dormir com pijama de criança até meio-dia, pagar 500 reais numa saia amarela, comer bicho-de-pé no amor aos pedaços ou quem sabe dar para o seu chefe em cima da mesa dele. É assim que vivo, masturbando minha mente de sonhos para tentar sugar alguma realização. É assim que vivo: me fodendo! Calma, raciocínio e estratégia, são dons de amor que pára para racionalizar. Amor que é amor não pára, não tem intervalo, atropela. Não caio na mesma vala de quem empurra a vida porque ela me empurra. Ela faz com que eu me jogue em cima de você, nem que seja para te espantar.. Melhor te ver correndo pra longe do que empacado em minha vida."

Tati Bernardi.

Ninguém pode me dar o ar que é meu para respirar.. ♪

Uma Criança com Seu Olhar.

Um dia acontece, a gente tem que crescer
Temos que encarar a responsa
Eu não deixei de achar graça das coisas
Simplesmente...
Hoje eu quero ser levado a sério!
As coisas mudam sempre, mas a vida não é só como eu espero
Existe um dom natural que todos temos
Nossas escolhas vão dizer pra onde iremos
Mas se for pra falar de algo bom
Eu sempre vou lembrar de você



Charlie Brown Jr.

Eu poderia beijar um milhão de caras, mas não significaria tanto quanto segurar a sua mão.

"Tem que ser eu, porque pra mim, tem que ser você!"

Como as ondas do mar sempre vão e vem..

Das tuas frases feitas... Das tuas noites perfeitas!

23 de abril de 2011

Quem canta seus males espanta.

Eu acredito que quando estamos escutando alguma música, quando estamos tristes, e sentimos de repente aquela vontade incontrolável de chorar, é quando se aplica aquele ditado ‘quem canta seus males espanta’. Então choramos e aquela dor ameniza, diminui, e começa a caber de novo no seu peito. Não se prive de expor o que você sente ou como você se sente, não importa o que os outros pensem ou achem do que você carrega dentro de si.. Porque afinal, quem carrega o peso é você, por mais leve que ele seja.

I.

E agora?!

E o que fazer quando você sabe que não está em seu estado normal, e sabe também que o que falta é amor por si próprio, mas todo o amor que você tinha você entregou para alguém que jogou fora? E agora... Cadê?
I.

As coisas não mudam. Nós mudamos.

“Ninguém tem que buscar a si mesmo. A gente só tem que aprender a não se rejeitar. Se dar colo, aprender a receber afeto, querer afeto e saber que não virá aquela hora. A gente tá ali dentro o tempo todo, mas é preciso se olhar com olhos amorosos. Porque fazemos o que podemos diante do que sentimos. E há sempre uma forma de ser e estar além. Quando dói nada disso faz sentido. Mas um dia faz. E funciona.”
Marla de Queiroz.

Trecho.

”O ser transcede a aparência. Assim que você começa a descobrir o ser que há por trás de um rosto muito bonito ou muito feio, de acordo com seus conceitos e preconceitos, as aparências superficiais somem até simplesmente não importarem mais.”
A Cabana

*--------------*

Caça-Palavras.



sarcasmo/segredos/ familia.
As pessoas estão tão acostumadas a ouvir mentiras, que sinceridade demais choca e faz com que você pareça arrogante.

Jô Soares.

21 de abril de 2011

Ei, só vim avisar que estou desistindo, ok? Acho que assim será melhor, com ou sem você, já não importa mais. Venho vivendo em um permanente e inútil sacrifício, apenas mudarei o foco. Prometo esquecer-te. Aprendi a lembrar de ti a todo momento, agora bastará lembrar de te esquecer. Não vai ser difícil, vou tentar lembrar do muito que te dei e do pouco que recebi, vou lembrar dos sorrisos que desejei enquanto as lágrimas tomavam conta de mim, vou lembrar do quanto te amei e o que isso significou pra você. Bom, será assim. Vou sofrer como antes, mas dessa vez terei amor próprio, cuidarei mais do meu “eu”. Posso ter sido mais uma pra você, mas sou única pra mim.

Senhas

Eu aguento até rigores
Eu não tenho pena dos traídos
Eu hospedo infratores e banidos
Eu respeito conveniências
Eu não ligo pra conchavos
Eu suporto aparências
Eu não gosto de maus tratos

Eu não julgo competência
Eu não ligo pra etiqueta
Eu aplaudo rebeldias
Eu respeito tiranias
E compreendo piedades
Eu não condeno mentiras
Eu não condeno vaidades

O que eu não gosto é do bom gosto
Eu não gosto de bom senso
Não, não gosto dos bons modos
Não gosto.

Eu gosto dos que têm fome
Dos que morrem de vontade
Dos que secam de desejo
Dos que ardem.. 



Adriana Calcanhoto.

18 de abril de 2011

Meu amanhã ♫

"(...) ele é minha delícia, o meu adorno, janela de retorno, uma viagem sideral, ele é minha festa, meu requinte, o único ouvinte da minha Rádio Nacional, ele é minha sina, o meu cinema, a tela da minha cena, a cerca do meu quintal, minha meta, minha metade, minha seta, minha saudade, ele é meu deus, meu divã, minha manhã, meu amanhã, ele é minha orgia, meu quitute, insaciável apetite numa ceia de Natal, ele é meu brinquedo, minha certeza. meu medo, é meu céu e meu mal, ele é meu vício e dependência, incansável paciência e o desfecho final, meu fá, meu fã, a massa e a maçã, meu lá, minha lã, meu velar, meu avelã, amor em Roma, aroma de romã.."

Lenine.

Eu te quero tanto que voltaria atrás no que acredito..

17 de abril de 2011

Este é o jogo do amor - Você joga, você vence só para perder..

Eu achei que nada poderia dar errado, mas eu estava errada..

Braços, Abraços, Oco

Só pra'te contar de todas as vezes que eu não te sentia perto, e te confessar que eu sentia todas as vezes em'que tu estavas aqui, em que eu abraçava o teu pescoço pra te fazer mais meu, mais próximo, mais parte-de-mim ou parte-que-me-cabe-de-ti, e que teus braços, tanto quanto tua mente e teu olhar se distanciavam cada vez mais, cada encontro mais, cada abraço mais, porque eu te segurava, e criava mais braços e mais mãos pra te juntar, pra te acorrentar, por que, entende? Não que eu quisesse te possuir ou te comandar, eu só queria sentir os teus braços, o teu corpo, o teu querer-estar e querer-sentir, mas eu não sentia, e quanto mais meus braços envolviam o teu corpo mais deixava transparecer que era só um corpo, oco. Não havia nada ali, ao menos não pra'mim.. E que cada vez que eu tentava te sentir, via os teus braços distantes de mim, e o teu rosto usando meu ombro de repouso apenas para mirar com os olhos um outro lugar tão, mas tão longe dali.. E os meus braços cansaram, finalmente enxergaram, que não importava a força e o amor que eles sentissem pelo teu pescoço, e o meu faro pelo teu cheiro, e os meus olhos pela tua cor, meu ouvido pelo teu timbre, sempre seria assim, eu ali, entregue assim, e o teu querer-pertencente-a-outro-alguém jamais estaria onde eu estivesse, porque o teu querer pertencia-a-outro-alguém e não queria-a-mim.. Então tornou-se tudo tão mais claro, e tudo tão mais fácil, que me fez querer ter alguém que criasse elos, ligações, conexões, sintonias em apenas estar perto, meus braços cansaram-se, fecharam-se, hoje, aceitam apenas os braços que primeiro lhes tocam, e sentem necessidades que antes desconheciam, como encostar em outros braços que também-lhes-queiram e também-os-sintam, que não haja mais a necessidade de segurar, de esperar resposta, de procurar pulsos e encontrar repulsa.. Apenas o toque, apenas a recíprocidade, hoje, eles não esperam mais por ti e nem meus olhos procuram ver o que os teus parecem querer, nem meu faro sente falta do teu cheiro que o acompanhava aonde quer que fosse, descobri mil outros timbres, no início foi difícil não comparar com o teu e com aquela sensação gostosa que emanava, vibrando em mim, mas não sinto mais, e é tão livre, tão puro.. Tudo bem, se demorar pra encontrar braços que queiram os meus abraços, só que teu eu não espero mais, eu não peço mais, eu não quero, não quero mais.

Renata Mulinelli.


"Eu só aceito a condição de ter você só pra mim
Eu sei, não é assim, mas deixa
Eu só aceito a condição de ter você só pra mim
Eu sei, não é assim, mas deixa eu fingir e rir."
(Sentimental - Los Hermanos)

Acorda minha filha..


Eu estava pensando hoje nessas meninas apaixonadas por caras que só fazem mal pra elas, e no fim pra eles mesmos! E fiquei pensando também nas vezes que muitas devem dizer:  ‘aaah fulana tem inveja de mim, por eu estar com ciclano e não ela’! E vou dizer aqui o que me da inveja: O que me da inveja é ver casais que entram e saem juntos, de qualquer lugar, que mantém uma estadia saudável, em qualquer ambiente, pois se respeitam. Tenho inveja de mulheres que possuem ao seu lado homens que se importam se elas estão bem, companheiros, que curtem a presença de quem está ao seu lado, não são afoitos por todas as mulheres presentes no local, ou por todas as garrafas de cerveja que o bar ofereça, que não façam drama ou fiquem inventando mentiras, ou seja lá o que for para que possam chamar atenção (até porque, falamos aqui de homens, não de adolescentes). Esse tipo de homem, que não pode ver uma bunda passar sem dar uma cantada, que enche a cara e acha graça disso, se acha o fodão só porque faz um ‘à três’. Esse tipo de homem me da nojo. E mais nojo ainda eu tenho das mulheres que se sujeitam a esse tipo de coisa e se acham as mulheres mais sortudas do mundo porque ‘ganharam na marota’ pra agarrar o gato, quando na verdade não ganharam porra nenhum, muito pelo contrário, perderam a paz e o amor próprio.. Se é que algum dia tiveram algum. Não vão ganhar nada nunca, porque quem não se respeita, não ganha o respeito dos outros. Dignas de pena. E ai vem o ditado que minha mãe sempre me fala quando eu digo que to carente e queria ter uma pessoa bacana comigo ‘antes só do que mal acompanhada’, e quando chego em certos lugares e vejo certas situações, fico muito feliz em estar sozinha e ver que mesmo não tendo o tal companheiro bacana que eu tanto quero, ainda me sinto em paz e feliz, porque ainda posso contar com o melhor carinho do mundo.. o carinho dos meus amigos.
Falando em amigos, 1bj a todos eles, as saudades são imensas. 

I.
"Ao perder a ti, tu e eu perdemos
Eu porque tu eras a que eu mais amava
E tu, porque eu era o que te amava mais
Contudo, de nós dois, tu perdeste mais do
que eu
Porque eu poderei amar outras como amava
a ti
Mas a ti não te amarão como te amei eu"

Ernesto Gardenal

Eu queria tirar de mim todas essas fotografias tatuadas, esses flashs de lembrança, sim: flashs, porque sempre que tento lembrar de algo é só o que me vem, flashs, como fotografias em movimento, e eu guardo elas com tanto cuidado porque eu tenho medo, de passar tanto tempo, mas tanto tempo, que eu não possa mais distinguir lembrança de sonho, memória de invenção, fotografia de imaginação - esse teu sorriso de canto de boca, esse teu olhar que não sabe mentir, essa tua mania de apertar um pouquinho um olho enquanto pensa, aquela tua expressão debochada enquanto finge concentração, o cheiro que tem o teu cabelo, o jeito que meu corpo se molda no teu abraço, o teu jeito certo de segurar as minhas costas exatamente aonde eu gosto, o teu nariz no meu nariz, o teu olho no meu olho, o meu beijo no teu beijo, o teu beijo no meu ombro, o meu beijo no teu braço, a tua mão na minha mão, a minha mão na tua nuca, o teu me puxar de volta depois de tantos boas noites, o teu jeito de falar, de pouco falar, de me fazer rir, de rir de mim..

Renata Mulinelli.

16 de abril de 2011

"Seja quem você for. Seja qualquer posição que você tenha na vida, no nível altíssimo ou mais baixo, social. Tenha sempre como meta muita força, muita determinação e sempre faça tudo com muito amor e com muita fé em Deus, que um dia você chega lá, de alguma maneira você chega lá" 


 Ayrton Senna

Mais que palavras, é tudo o que eu sempre precisei que você mostrasse..

Difícil é encontrar alguém com quem você queira conversar por horas.

.

15 de abril de 2011

O excesso da falta.

Foco no lugar vazio da mesa. A pessoa que não veio. Pior ainda: a que não existe. É ali que fico, sempre, apaixonada, doendo, esperando. O lugar vazio da mesa, da cama, do planeta. Minha sorte é um bilhete desses de raspar só que o segredo não sai com nada. Meu amor é a cadeira com pé quebrado que tiraram do salão antes que alguém se machucasse. Então me recuso a sentar em outras e vivo entre o cansaço e o medo de cair de mim mesma.
Eu funciono assim, não sei se você já percebeu. Consigo não te amar, e isso significa passar ótimos dias em paz, quando te trato bem, quando te amo. O que sobra em mim, o que eu guardo no peito, é sempre o negativo do que expeli para o mundo. Por isso o e-mail, carinhoso, um jeito de te expulsar mais uma vez, porque é só isso que sei fazer quando o assunto é sentir além de mim. E quando te trato mal, são dias te amando aqui, nos espaços vazios que você jamais preencheria e que são absolutamente você. O mundo todo que não tem você é ainda mais você. E assim me relaciono. Com o risco de giz branco em torno do corpo que já foi levado do chão. Sempre me apaixono depois que acaba a paixão. Sempre namoro quando acaba o namoro. Só assim sei amar. E então te carrego no peito e em tudo, ao ir sozinha ou mal acompanhada ao cinema. E então janto com você e como bem e até bebo. E passamos sem perceber uma vida inteira. Só porque agora você se foi, é que sinto que você chegou de verdade. E assim namoramos tão bem e sou tão agradável. E é com você que vou até a esquina e o fim do mundo, porque posso tudo agora. Agora que não posso nada.
Daqui vejo milhares de pessoas e boas intenções e motivos pra ser feliz. Mas onde eu estou? Adivinhe? Estou em casa, sozinha, como se não houvesse nada. Como se tudo isso fosse cruel justamente por ser bom. O bom acaba. Mas isso aqui, o refúgio da ansiedade e da alegria, essas duas coisas do demônio, isso aqui é verdadeiro e é daqui que estou, na verdade, no meio de todas essas pessoas boas e os motivos pra ser feliz. É só daqui. Então, quero ir embora. Ir embora pra chegar logo. Porque enquanto estou é insuportável, mas depois, quieta, deitada, o mundo inteiro se encaixa aos poucos até eu pegar no sono e sentir a matéria de estar viva. Não evaporo mais pois estou me apertando até ficar quieta nessa caixinha minúscula que trago tão bem guardada apesar do desespero em ser aberta.
É sempre na falta que vivo. É sempre em cima da altura que não tenho que olho o mundo. E das coisas que eu não sei que falo melhor. E dos sentimentos que eu não poderia sentir que me abasteço pra ser alguma coisa além do que me faz mais uma. E da incapacidade de ser mais uma que me agarro, pra poder participar de algo e esquecer como é maluco tudo isso. É na alegria extremada que sinto o tamanho do sofrimento que posso aturar.
É a loucura que sai antes quando preciso rapidamente ser normal. É porrada que dou quando a mão vai rápida para um carinho urgente. É de onde não se pode estar que tenho saudades. É para o lugar do qual fugi que vou quando corro. É no lugar insuportável que fico quando descanso de algo que não aguentei. É na falta que vivo. O tempo todo sendo a mulher pra você que nem você quer. O tempo todo sendo a mulher que você não vê mais e só por isso, agora, te vejo o tempo todo. É te amando tão infinitamente que me liberto de gostar pelo menos um pouco de você.
Quando preciso de açúcar sinto ânsia só de ver doce. E na hora de ir embora, ganho o viço e a frescura de algo novo. Não lido bem com a fome, pois ela me sacia, me enche, de algo que me faz além do bicho. É do meu auge que caio feio. Na paz de fechar um arquivo que volto a pensar na página em branco e em tudo que não sou capaz. No fundo do gostosinho da alma mora o que dispara meu incômodo mais terrível. Quando tento ser homem, meu Deus, sou mais garota do que aquelas colegiais cheirando a floral com bola de basquete.
Você reclamava que eu não dizia seu nome e isso era só porque eu o estava dizendo o tempo todo. Meu cérebro martelava o som das suas referências e imprimia tanto você que eu precisava falar de mim daquele jeito pra tentar existir além do que eu me tornava. Você era tudo quando reclamava que eu andava estranha ao telefone, sem dar importância. Quando eu não parecia te ouvir, eu estava ouvindo suas milhares de vozes e tentando dar conta de gostar de tanta gente diferente que era gostar de você. Mas agora, assim, dizendo João, eu consigo continuar. Mas não uso a palavra anular porque seria dar rabisco aberto para as asas que não quero desenhar.
O tempo todo o abismo gigantesco quanto mais desço. O tempo todo a calma mais incrível nos momentos de real desespero. E o pânico do que é simples de resolver. E se não tem ninguém pra chegar é aí que verdadeiramente espero. E se não tem ninguém pra me tocar, sinto tesão em encostar no ar. Você não está e me olha como nunca. Você merecia ser amado assim, do jeito que acaba pra começar. Uma covardia só pra quem aguenta firme. Sempre no oco me preencho tanto.

 Tati Bernardi.