9 de outubro de 2011

Então que todos vejam...


Talvez eu mostre esse texto pra alguém, talvez poste no blog para que todos possam ler, mas eu tenho achado as coisas que eu escrevo ao longo de todo esse tempo um tanto confusas, eu começo com algum tipo de assunto ou queixa e termino com algo totalmente diferente. Hoje eu vim pra falar de alguém que tá fazendo parte da minha vida, não sei por quanto tempo, nem faço planos... Mas nesse momento é ele que me entende MUITO. E não sei se ele realmente conhece minhas reações, ou entende de signos, mas sempre que algo me incomoda ou que o meu humor está péssimo (muito freqüentemente inclusive) ele se afasta e da tempo para que minha tempestade se torne calmaria e então volta, ele tem toques suaves, e ciúmes bobos que me deixam a vontade, me deixam segura e ele também é segura quanto a nós. Já viveu mais que eu e isso dá a ele mais vantagens para lidar com as minhas crises de adolescente. Constantemente me porto como uma, e me sinto até envergonhada com isso, mas ai ele olha pra mim e ri, como se tudo aquilo fosse bobo demais e eu fico com mais vergonha (risos), de uma paciência enorme, eu posso fazer o inferno na terra e ele se mantém firme, sem se estressar e eu o admiro por isso, e o admiro mais ainda pelo pai que ele é, em outras ocasiões já o quis dizer, mas nunca tive oportunidade, então escrevo. Se existem duvidas dele em relação à forma que age como pai eu o digo que erros todos cometem, mas que ele está no caminho certo, quem dera meu pai tivesse sido pra mim a metade do que ele é para os filhos dele. E então todos se apavoram ao ler que ele tem ‘filhos’, logo eu tão nova, que dizia que nunca me envolveria com homens mais velhos. Sim, eu me envolvi. E não me arrependo, tirando aquela sensação de ‘meu Deus o que eu to fazendo com esse cara?’ tão diferente de mim, com propósitos e expectativas diferentes de tudo o que eu possa imaginar agora. Com milhares de experiências a mais do que, eu tão infantil, com tanto pra amadurecer e aprender. Todos os dias sinto vontade de correr na direção oposta, mas nem que eu quisesse, eu vivo com esse homem todos os dias. Eu tento me manter menos envolvida possível, mas confesso que adoro saber que posso contar com ele, principalmente quando eu vejo um problema enorme e faço uma tempestade em copo d’água e quando conto pra ele aquilo se dissolve e parece tão pequeno perto de todas coisas pelas quais eu ainda vou ter que passar. Não sei se ele tem idéia de tudo o que é pra mim, eu nunca lhe mostrei algo que eu tenha escrito sobre ele, também não gostaria de alimentar o ego dele lhe mostrando isso, mas ele não é mais guri, é um homem, talvez ele mereça essas palavras. Talvez eu o magoe com a minha inconstância, eu não sou mulher ou não tenho a maturidade de uma, nem sei se um dia eu terei. Não sei conviver em relacionamento, não sou boa em passar segurança a ninguém de nada, eu sinto necessidade de atenção o tempo todo, de todos, mas isso, acho que posso dizer, é algo da minha personalidade, ou do meu ego sempre faminto e orgulhoso, mas também... Essas pessoas das quais eu ganho atenção, elas são externas, ele não... Ele é interno, a atenção de todos os outros é mero resultado do meu jeito de ser a dele é uma conquista que eu faço questão de manter, todos os dias, ao longo do meu dia.

28 de setembro de 2011

Ao camisa 10



Eu pergunto a Deus, os motivos que fazem nós amarmos e admirarmos tanto uma pessoa, eu acredito que não seja apenas por ela ter ajudado a ‘cegonha’ a nos trazer.  O meu pai, ele não sabe, mas não tem uma data que seja importante pra mim na qual eu não o queira comigo, e até as não importantes também. Eu sinto falta todos os dias, do abraço e do colo dele, e daquele jeito carinhoso de dizer ‘esse garoto não é pra você’ ou então aquelas mijadas que sempre são dadas, porque você fala algum palavrão ou porque não fez algo que deveria ter sido feito. Tem os aniversários, dia dos pais, valsa dos 15 anos, conselhos com garotos, ligar de madrugada pra ir buscar você na festa em que você estiver, os famosos conselhos de classe. Eu me lembro de quando era criança e meu pai chegava sempre de madrugada em casa, com blocos de folhas e canetas, e eu adorava e brincava de escritório por semanas. Quando meus pais se separaram ele vinha nos visitar seguidamente, passava semanas às vezes, mas isso com o tempo foi diminuindo, hoje quase não nos vemos, nesta data de hoje (29/09/2011) devem fazer uns 3 anos ou mais. Essas coisas de pais e filhos que eu citei acima, nenhuma eu fiz com meu pai, e mesmo assim eu o amo INFINITAMENTE, pela sua beleza, pelo seu caráter, pela sua postura em relação a vida, pelo profissional que ele é, pelo pai que ele poderia ter sido se tivéssemos mais tempo juntos, por se vestir bem, por se cuidar, por amar a si mesmo, por não ter medo de largar tudo pelo seu próprio bem e por ser tão espantosamente parecido comigo. Pai, hoje eu queria te dizer que eu te amo muito, que eu sinto muito a tua falta e todos os dias, que tu foste embora de casa e se separou da mãe, mas no meu coração tu ainda tens moradia, e que na minha vida tu sempre vai ter lugar especial, eu penso todos os dias em ti, hoje mais do que sempre e até te escrevo pra oficializar essa falta que me consome e que me faz mais triste em alguns dias nos quais um abraço teu resolveria muitos dos meus problemas, eu vejo outros pais com seus filhos e não tenho vergonha de admitir que muitas das vezes, diria que quase sempre eu sinto inveja de eles poderem estar com seus pais como eu gostaria de estar com meu e que hoje por causa da distancia e de outros motivos banais nós nos encontramos afastados e que até desconhecidos um do outro. Eu amadureci muito com a tua falta, e não digo que não tenha recebido uma ótima educação da mãe porque seria injusto com ela, mas se eu tivesse o teu apoio e ela tivesse tido a tua ajuda, sem duvidas hoje eu seria uma pessoa diferente, eu teria tido uma vida diferente. Eu estaria mais feliz.

 Beijos imensos da tua filha.
Não esquece nunca do meu amor, e te cuida onde tu estiveres. Que daqui de onde eu estou te mando as melhores vibrações possíveis. Muita paz pai, muita luz nos dias de hoje, onde a loucura impera e temos que lutar diariamente por dias melhores.

Até...

27 de setembro de 2011

Confusão - I


Eu busco mil maneiras de me encontrar, e nessa tentativa acho mil caminhos para me perder, acho que a vida prega peças na gente, como por exemplo, a forma que ela nos faz ver as coisas e amadurecer. Falando a um amigo de como eu estava me sentido (futuro psicólogo, inclusive) ele me falou que isso é porque existem coisas na minha vida com as quais eu não estou satisfeita, e isso me faz repensar as coisas e amadurecer com elas. E até pode ser... Eu já quis tantas coisas que hoje não quero mais, sonhei vários sonhos que não me lembro, criei expectativas que foram destruídas pelo tempo, conheci pessoas que se esqueceram de mim e que foram esquecidas, sinto saudades de uma época da minha vida na qual eu quis muito sair enquanto ela era vivida. Na verdade esse é um texto sem deduções ou filosofias, é um desabafo de como a vida nos engana. Ela nos mostra uma face de alguém que lhe sorri com flores nas mãos, te enganando, fazendo você ir sem pestanejar a lugares nos quais você não imaginava andar e logo em seguida te faz olhar para trás com vontade de voltar ao inicio e percorrer outro caminho. Talvez seja pelo meu signo, talvez pela vontade de viver a vida que me consome, talvez por minha vontade de ser alguém, de ter uma profissão que me renda dinheiro ao mesmo tempo em que prazeres, talvez por eu não querer mais ser alguém que trabalha pra outro alguém que não pra mim mesmo ou por ver minha mãe passar trabalho a vida toda e por não querer o mesmo pra mim, talvez... talvez... talvez... Enquanto eu quero abraçar tudo e fazer tudo, tentar todas as possibilidades para me fazer realizada, eu fico aqui, escrevendo sobre todas essas duvidas enquanto não faça nada. Porque na realidade me sinto presa as minhas vontades e a essa minha incapacidade de definir prioridades e acabo ficando parada sem me mover. Bem se diz que não se tem tudo o que se quer! Felizes aqueles que são satisfeitos com o que tem, eu não... EU quero é MAIS e tanto que nem sei por onde começar.

11 de agosto de 2011


É melhor atirar-se à luta em busca de dias melhores, mesmo correndo o risco de perder tudo, do que permanecer estático, como os pobres de espírito, que não lutam, mas também não vencem, que não conhecem a dor da derrota, nem a glória de ressurgir dos escombros. Esses pobres de espírito, ao final de sua jornada na Terra não agradecem a Deus por terem vivido, mas desculpam-se perante Ele, por terem apenas passado pela vida.

8 de agosto de 2011

Bad


Rise Above 1




No momento da traição
Há hora para a verdade?
Onde não há eles, somente nós
É hora da razão?
Seu coração já teve o suficiente?
É hora de seguir em frente?
E superar.

Alma Gêmea

Domingo passei o dia vendo Sex And The City, tempo nublado, meio frio, era o que tinha de melhor para ser feito, e foi em um desses episódios que eu ouvi uma coisa que me emocionou muito, em uma conversa em que as amigas Carrie, Miranda, Charlotte e Samantha estavam tendo sobre uma crise de carência afetiva onde elas diziam que achavam que não tinham uma alma gêmea, dessas que casais usam quando estão apaixonados, quando Charlotte disse a seguinte frase: ‘E se, nós formos à alma gêmea uma da outra. ’ E eu percebi, de como eu sou feliz quando estou na presença de vocês. Como eu me sinto bem e segura. E se eu penso que sozinha posso ser grande, junto de vocês consigo ser gigante. E não é em corpo não, é em espírito, posso dizer sem sombra de duvidas, que quando estou com qualquer uma de vocês sinto-me iluminada. Hoje eu escrevo para vocês, que estão junto de mim nas piores horas, e eu não vou lembrar as melhores porque para os melhores momentos existem muitos, mas para os momentos ruins, nesse que a gente não enxerga nada claramente e tudo parece perdido vocês, minhas amigas posso até ser modesta em dizer irmãs, estão comigo e me ensinam que é só mais uma fase, cada uma com sua qualidade e seu defeito, completam a minha vida.  E não podia deixar de citá-las individualmente mencionando o que as torna tão especiais...

Camila Porto:

Segura de si, mulher, discreta, quando tudo está voando e as coisas parecem não terem um lugar para se encaixar, TU, chega com uma calma absurda e puxa tudo de volta para seu devido lugar, mostrando que cada coisa tem o tempo certo e que só basta paciência e encarar as coisas como são. Nada foge do seu ponto de equilíbrio e mesmo que as coisas estejam loucas lá fora, em ti eu encontro paz.

Pauline Souza:

Menina, meiga, decidida, sempre me dizendo ‘onde eu for, te levo comigo’ e não há quem duvide, mulher que alça grandes vôos, o teu lugar é no topo. Meio inconseqüente, duvida da própria inteligência, mas é maior do que pensa. O mundo é pequeno pra ti, e no meu medo de tentar, no desanimo dos dias, tu vem sempre suave e me levanta e puxa, não importa o buraco em que eu esteja. A tua garra é o que me motiva a não desistir dos meus sonhos. Em ti eu encontro força.

Renata Mulinelli:

Careta, observadora, libera na escrita a sensibilidade que a vida aos trancos te tirou. És mais forte e mais bonita do que pensas. E de longe, da Barra do Ribeiro, eu vejo um espírito acolhedor, uma alma iluminadissima, uma mulher inocente, mas nada de ingênua, uma fera pelos seus ideais, pelos seus pensamentos. Ela me traz graça pela vida.

Solange Maria Baginski:

A mãe, a heroína, o herói, o exemplo, a classe diante da vida, o olhar sempre à frente, a vitória depois do tombo, a garra, a persistência de alcançar aquilo que se quer, meu sangue, linda eu te amo e qualquer coisa que eu diga aqui é pequena pra definir esse ser que está absolutamente SEMPRE ao meu lado, minha força vital.

Anelise Fontoura:

Foi em um olhar, e não precisou mais nada, uma branca e a outra negra, e exatamente idênticas, levadas a amadurecer cedo demais, empurradas a criar responsabilidades antes do tempo, mulher de princípios, racional, realista. Vendo a tua vida, vendo a tua forma de levar a vida, eu encontro em ti, amor próprio.

A vida sem vocês não teria graça alguma, eu agradeço todos os dias poder contar com cada uma de vocês e mesmo que nós não conversemos todos os dias, ambas sabemos que estamos presentes na vida uma da outra, e que podemos contar uma com a outra SEMPRE. Eu envio a vocês todos os dias o mais terno amor, muita luz e muita paz. Eu, que não uso muito de sentimentalismos, derreto diante de cada uma, em forma de manteiga eu lhes deixo esse texto que é pequeno perto de todo o sentimento que guardo em mim, mas que é uma homenagem  que eu não poderia deixar de prestar nesse espaço que é tão meu, e que por ser assim não deixa de ser de vocês também, minhas estrelas.

7 de agosto de 2011

Minha Vida e Eu.

Oi, eu escrevo aqui faz algum tempo, mas nunca tive a iniciativa de me apresentar, ou se quer sabia o que apresentar já que eu sou um pouco de cada e sentia um pouco de tudo sobre as coisas. Mas hoje, em um domingo com o tempo nublado e vendo Sex And The City desde o inicio da tarde, sofrendo uma crise de obesidade (porque o meu peso e a dificuldade em que eu me encontro de diminuí-lo estão me apavorando) eu resolvi apresentar para quem me lê um pouco de mim, ou do que eu acho que é de mim e que daqui a alguns meses vai ser diferente, enfim... Tenho hoje 19 anos, sou sagitariana e dona de um gênio mais que difícil, acredito que eu já tenha vivido coisas que muitos de 30 e poucos não viveram ainda, mas não vou entrar em detalhes sobre experiências nem nada desse tipo. Tenho uma mãe maravilhosa a qual conto todos os detalhes da minha vida, e ouço tudo o que ela tem para me dizer SEMPRE. Porque eu aprendi levando na cara que nada melhor do que ouvir alguém que já viveu mais do que você e que já passou por mais coisas que você, se aquilo que você acha que vai dar certo e que é bom para sua vida, vai lhe trazer realmente alegria ou no final vai ser uma baita de uma decepção, e funciona. Mas como eu costumo dizer e acho que é uma opinião da maioria, não adianta alguém nos avisar sobre o certo e o errado ou que vai ser bom ou ruim, nós sempre vamos tentar ver as coisas por nós mesmo, e não pelas experiências de outros, não adiantaria falar futuramente para nossos filhos que aquilo que eles pensam em fazer vai ser ruim se nós não vivemos aquilo. Se na hora em que tivemos a oportunidade de tentar desistimos porque outra pessoa o fez e se deu mal. Eu penso muito no que acontece, comigo e com os outros, sempre que posso avalio as coisas e tento tirar algo de bom de qualquer situação que aconteça na minha vida sendo ela positiva ou negativa. Penso muito no banheiro, pode ser engraçado, mas quando estou sozinha lá é que sinto vontade de escrever o que digito aqui, embora eu esteja na sala! (risos) Sou sincera demais, dura demais quando tenho que falar as coisas para as pessoas, e às vezes o que deveria parecer um conforto ou um conselho soa agressivo, e isso é uma pena para quem ouve, porque eu nunca vou conseguir mudar, e sim! Eu já tentei. Costumo dizer que sou realista diante das situações e tento sempre ver os dois lados da moeda para não ser injusta. Mas gosto de sempre estar com a razão, mesmo quando estou errada, e eu sempre sei quando isso acontece e o mais grave ainda é a dificuldade que tenho de pedir desculpas ou demonstrar sentimentos, a maioria das pessoas que eu amo muito e que eu daria a roupa do corpo (no inverno) para agasalhar, não sabem que eu faria isso por elas. Mas eu não tenho uma necessidade muito grande de demonstrações de afeto, embora tenha meus momentos de carência como qualquer outra mulher. O que importa para mim é saber que posso a qualquer momento contar com aquela pessoa, assim  como ela também pode contar comigo. Moro na capital gaucha, frio de rachar, quero estudar e por incrível que pareça já faz dois meses que a minha vontade não muda, optei pela engenharia civil, parece ser bom, até porque trabalho em uma vidraçaria e acompanho um pouco as obras dos instaladores, gosto de estar no meio da muvuca, não nasci para ficar atrás de uma mesa atendendo telefonemas ou lendo papéis intermináveis, a não ser que esses papeis sejam livros de algum autor do qual eu goste muito, como Caio Fernando, Tati Bernardi ou Martha Medeiros, gosto de mais uma quantidade deles mas não vou me ater a detalhes sobre isso, basta que saibam que eu adoro ler. Para o que precisar, conte comigo, faço tudo, dei até pra cortar alumínio! E funciona. (risos). Deus pode me achar um pouco egoísta, mas sou grata a ele pela vida que tenho. Sou muito feliz, com a minha mãe, com o meu trabalho, com os meus amigos e com as coisas que eu ainda não tenho, mas que penso em adquirir e sei que vou conseguir. Pois além de me sentir riquíssima com tudo isso que disse agora eu ainda sou esperta e inteligente o suficiente para não desistir nunca dos meus sonhos.

Desde já agradeço a todos que fazem parte da minha vida e que a cada dia, mesmo com toda a dificuldade continuam do meu lado tornando os problemas grãos de areia. Meu eterno eu te amo.

Ps.: Este texto é interminável, outros serão feitos, talvez com um curso diferente ou contando que estou casada (o que eu acho pouco provável), em outra profissão e com certeza mais velha.